Taxa de juros do cheque especial atinje maior valor deste 1999

Taxa de juros do cheque especial atinje maior valor deste 1999

Os juros do cheque especial continuam sendo os mais altos e tornam a modalidade de crédito a mais cara entre as disponíveis no mercado. A taxa para esse tipo de empréstimo atingiu 188% ao ano, segundo divulgou nesta quarta-feira (24) o Banco Central (BC), a maior taxa dos últimos 12 anos. Em abril de 1999, a taxa de juros do cheque especial era de 193,6% ao ano.

A taxa de juros do crédito pessoal caiu pelo 3º mês seguido, atingindo 48,7% ao ano. Os juros para a aquisição de veículos também caíram, chegando ao patamar de 29,5% ao ano em julho. A inadimplência total – levando em consideração as contas de famílias e empresas com atraso superior a 90 dias – teve leve alta entre junho e julho deste ano, passando de 5,1% para 5,2%. O aumento se deve à elevação da porcentagem de empresas inadimplentes, que passaram de 6,4% para 6,6% de junho para julho. O número de famílias em débito ficou estável pelo terceiro mês seguido, em 3,8%.

O volume de crédito oferecido pelos bancos somou R$ 1,85 trilhão em julho, uma alta de 1,1% em relação a junho. O montante equivale a 47,3% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro – a soma de todas as riquezas produzidas no País. Nos últimos 12 meses, houve um aumento de 19,8% na oferta de crédito. O montante é menor que o registrado nos 12 meses anteriores a junho, que foi de 20%, mas ainda segue fora do padrão considerado “desejável” pelo presidente do BC, Alexandre Tombini. Para o titular da autoridade monetária, o adequado seria uma expansão entre 10% e 15% do volume de crédito num ano.

Att.,
Dr. Davi Chedlovski Pinheiro
www.pinheiroadvogados.com.br
OAB/PR 2375

Postado em

Reblogado de: http://www.coblog.com.br/blog/index.php?cb=pinheiro&tipo=integra&id=38