Os juros da casa própria não vão cair?

 

Os juros da casa própria não vão cair?

FRANCO IACOMINI – IACOMINI@GAZETADOPOVO.COM.BR

Taí uma boa pergunta: bancos estatais e privados andam alardeando redução de juros do consignado, do empréstimo pessoal, do financiamento de automóveis… Nem uma palavrinha sobre os empréstimos habitacionais. Será que eles já estavam baixos?

De jeito nenhum. Há um ano e meio, a consultoria internacional AT Kearney divulgou um estudo sobre os custos de financiamentos habitacionais ao redor do mundo. De acordo com o relatório, o Brasil tinha uma das maiores taxas do planeta na área: 11,3% ao ano, atrás apenas da Rússia.

Desde a tal pesquisa, as coisas não mudaram muito por aqui – lá fora sim, a lentidão na recuperação econômica fez com que as taxas sejam agora menores do que naquela época. Nos Estados Unidos, segundo dados de ontem do Federal Reserve, a taxa das hipotecas estava em 3,9% ao ano. Por aqui, os cortes de taxas nessa área foram localizados e não mexeram tanto com o panorama geral.

Ouvi opiniões diferentes a respeito, nos últimos dias. Há especialistas que não veem muita chance de o financiamento de imóvel baratear até que o governo destrave o mercado dos juros – alterando a remuneração da caderneta de poupança, por exemplo. Outros acham que a mudança pode sair ainda neste semestre, pela pressão do próprio consumidor. Acreditam que, se o mutuário assistir à queda de outras taxas, pode se sentir tentado a deixar de pagar as prestações para renegociar em termos mais favoráveis.

Sozinha, a Caixa Econômica Federal responde por mais de dois terços dos financiamentos do país. Bastaria, então, uma canetada para resolver tudo. Mas, aparentemente, o governo aposta no estímulo à concorrência para potencializar o efeito dos cortes. No caso dos imóveis, a concorrência não faz diferença nenhuma.

Att.,
Dr. Davi Chedlovski Pinheiro
http://www.pinheiroadvogados.com.br
OAB/PR 2375
Postado em 24/04/2012

Reblogado de: http://www.coblog.com.br/blog/index.php?cb=pinheiro&tipo=integra&id=87