Volume de crédito cresce. E a inadimplência não cede

A soma das operações de crédito contratadas por pessoas físicas e jurídicas no país, classificada como estoque de crédito do sistema financeiro, alcançou a cifra de 2,452 trilhões de reais em abril, alta de 1,1% ante março. Em 12 meses, a elevação foi de 16,4%. O valor representa 54,1% do Produto Interno Bruto (PIB), informou o Banco Central nesta sexta-feira. Enquanto o volume de crédito aumenta, a inadimplência não cede: a taxa média de atrasos superiores a noventa dias no crédito livre (segmento que exclui créditos rurais, imobiliários e de infraestrutura, concedido pelo BNDES) permaneceu em 5,5% em abril, estável em relação a março.
De acordo com a autoridade monetária, o crédito livre, caracterizado pela tomada de empréstimos sem fim específico, cresceu 0,5% no mês e 11,1% em 12 meses, enquanto o direcionado (aquele destinado para compra de um bem específico como imóvel ou automóvel, por exemplo) aumentou 1,9% no mês e 24,6% em 12 meses. No crédito livre houve crescimento de 1% para pessoas físicas no mês, 2,1% no acumulado do ano e 9,2% em 12 meses. Para as empresas, no crédito livre, houve estabilidade no mês e altas de 0,5% no ano e de 13,1% em 12 meses.
Em relação à pessoa física, houve ligeira redução da inadimplência no crédito livre: de 7,6% em março para 7,5% em abril. Já entre as pessoas jurídicas foi constatada uma nova elevação, após a queda registrada em março. A taxa subiu para 3,7% em abril, ante 3,6% no mês anterior.