Financiamentos garantem produção industrial; até quando?

20130705-103117.jpg
O Brasil produziu 1,86 milhão de unidades no primeiro semestre, ao passo que vendeu 1,8 milhão de veículos no mesmo período – ambos recordes históricos, de acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Os recordes anteriores foram em 2011, quando a produção entre janeiro e junho atingiu 1,714 milhão de veículos e os emplacamentos somaram 1,73 milhão de unidades.
O presidente da Anfavea, Luiz Moan, atribuiu os bons números do primeiro semestre ao crescimento expressivo na produção e vendas de caminhões, ônibus e máquinas agrícolas. “São bens de capital, que significam o aumento do investimento na economia, o que nos leva a manter o otimismo”, disse o executivo.
O executivo também destacou o aumento da participação de veículos nacionais no mercado automobilístico, movimento que ocorre depois que o governo estabeleceu uma série de medidas protecionistas para onerar a importação de veículos. A fatia nos importados caiu para 19,2% em junho, ante patamar acima de 20% no mês anterior. “A substituição dos importados pelos nacionais incluiu de 40 mil a 50 mil unidades de veículos nacionais no mercado brasileiro”, afirmou.
Ao comentar a queda de quase 10% nas vendas de veículos em junho sobre junho de 2012, Moan classificou a notícia como uma “redução de vendas absolutamente esperada” , mas admite que o cenário deve seguir desta forma, ao menos, até agosto. “Entre junho e agosto do ano passado, o volume de vendas foi alto, em função da redução do IPI ocorrida em 2012”, justificou.
O presidente da Anfavea disse ainda que o crescimento de 7,2% na receita com exportação no primeiro semestre de 2013 foi “expressivo” e atribuiu a alta à expansão dos mercados compradores e não à melhoria da competitividade do setor.
(com Estadão Conteúdo)