#JurosAbusivos dá ao Bradesco lucro líquido de R$ 2,949 bi no 2º trimestre

20130722-095351.jpg
O Bradesco, primeiro grande banco privado a divulgar resultados referentes ao segundo trimestre deste ano, anunciou nesta segunda-feira, lucro líquido contábil de R$ 2,949 bilhões, aumento de 4,1% na comparação com o resultado visto de abril a junho de 2012, de R$ 2,833 bilhões. Em relação ao trimestre imediatamente anterior, a expansão foi de 1,0%.
De janeiro a junho, o lucro líquido do banco foi de R$ 5,868 bilhões, crescimento de 4,3% ante o mesmo período de 2012. O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido médio do Bradesco encerrou junho em 18,8% contra 20,6% visto no segundo trimestre de 2012. Na comparação com o primeiro trimestre deste ano, a queda foi de 0,7 ponto porcentual.
A carteira de crédito expandida do banco, que inclui avais e fianças, totalizou R$ 402,517 bilhões no segundo trimestre, expansão de 2,8% em relação ao primeiro trimestre deste ano. Na comparação com o mesmo período de 2012, foi registrado aumento de 10,3%.
De abril a junho de 2013, o destaque na carteira de crédito do Bradesco foi o avanço das operações de pessoas físicas, que cresceram 3,6% no segundo trimestre, totalizando R$ 123,562 bilhões. Em um ano, a alta foi de 10,1%. Já na pessoa jurídica, o crescimento foi de 2,4% e 10,4%, respectivamente.
Os ativos totais do banco alcançaram R$ 896,697 bilhões ao término do segundo trimestre deste ano, alta de 8,0% em um ano e de 0,2% na comparação trimestral. O banco fechou junho último com patrimônio líquido de R$ 66,028 bilhões, elevação de 3,3% em relação ao mesmo mês de 2012, porém, 4,9% menor que o volume visto no primeiro trimestre deste ano.
Lucro ajustado
O Bradesco também anunciou hoje lucro ajustado de R$ 2,978 bilhões de abril a junho de 2013, aumento de 3,9% ante resultado apresentado em igual intervalo do exercício passado. No semestre, o lucro foi de R$ 5,921 bilhões, crescimento de 3,65%, na mesma base de comparação. A diferença em relação ao ganho contábil se deve a eventos extraordinários como provisões cíveis e efeitos fiscais.
(Com Estadão Conteúdo)