Bancos britânicos começam a indenizar clientes por venda irregular de seguros

20130905-094559.jpg
A Autoridade de Conduta Financeira (FCA, na sigla em inglês) da Grã-Bretanha informou nesta quarta-feira que bancos britânicos já pagaram indenizações de 500 mil libras (777.710 dólares) a dez clientes que compraram seguros para aplicações sem compreensão completa de como funcionavam.
Os clientes adquiriram produtos de proteção de seus cartões ou contra o roubo de documentos de identidade, no valor de 30 a 80 libras anuais. Eles poderão solicitar, em certos casos, a devolução dos valores pagos desde 2005, além de juros de 8%. “Os clientes recebiam informações falsas ou pouco claras sobre as apólices com o objetivo de comprar os seguros de proteção, que ou não eram necessários ou cobriam riscos que haviam sido superdimensionados”, explica a FCA.
Nos últimos quatro meses, bancos como o Barclays, Royal Bank of Scotland e Lloyds têm revisto a venda de produtos com o objetivo de proteger empresas das oscilações nas taxas de juros.
A revisão veio após reguladores concluírem que muitas empresas pequenas compraram os produtos – conhecidos como swaps – não compreendiam ou que nem sempre atendiam suas necessidades.
Segundo o FCA, 1.700 propostas de compensação deverão ser feitas no curto prazo. O volume final de indenizações depende da determinação do “grau de sofisticação” dos clientes compradores de swaps.
Na avaliação dos bancos, 15.089 swaps foram vendidos a clientes sem conhecimento suficiente do assunto e outras 5.805 vendas estão ainda sob revisão. Já outros 6.500 clientes que compraram os swaps ainda não decidiram se querem ser indenizados.
(Com Estadão Conteúdo)