Suíça investiga esquema global de manipulação cambial pelos Bancos

20131007-085647.jpg
As autoridades financeiras da Suíça abriram investigação em relação às suspeitas de que grandes bancos internacionais estariam manipulando a taxa de câmbio de moedas pelo mundo de forma coordenada. Essas instituições combinariam um valor para cada moeda estrangeira, o que influencia a cotação de moedas de países emergentes, como o real. Se comprovado, esse seria um novo escândalo do setor financeiro global.
Segundo as autoridades suíças, “múltiplas instituições” estariam implicadas no novo escândalo. Há um ano, os bancos já foram pegos manipulando a Libor – taxa do mercado financeiro de Londres que é referência para os juros no mundo -, o que resultou em condenações afetando Barclays, UBS e vários outros bancos. Por causa dessa fraude, o banco suíço UBS recebeu multa de US$ 1,5 bilhão e o britânico Barclays foi multado em US$ 450 milhões.
Por dia, os grandes bancos negociam trilhões no mercado de câmbio. A suspeita recebida pelas autoridades é de que os operadores de câmbio estariam trocando informação para decidir o valor e a quantidade de compra e venda das moedas. Ou seja, os valores não flutuariam livremente, mas seriam fixados em pelo menos dois momentos do dia. Em Londres, por exemplo, os horários mais importantes para fixar a taxa são às 11 horas e às 16 horas.
Os suíços indicaram que a investigação não está ocorrendo apenas no país e que governos de várias partes do mundo estão colaborando. Por enquanto, os investigadores não revelam nomes dos bancos ou países afetados. Bancos como o UBS e o Credit Suisse se recusaram a comentar o caso e se fazem parte da investigação.
(Com Estadão Conteúdo)