Itaú oferece R$5,2 bi a PMEs, vai dar corda depois chutar o banquinho


OPINIÃO: 90% das novas empresas morrem nos primeiros 2 anos em virtude da abertura com capital de giro financiado. Não existe qualquer atividade no mundo que renda os juros abusivos cobrados pelos bancos. O resultado somente poderia ser a falência.

O Itaú Unibanco colocará 5,2 bilhões de reais à disposição de clientes empresariais de pequeno e médio porte para a demanda característica de final de ano, informou o banco em comunicado ao mercado nesta terça-feira. Os recursos são voltados para capital de giro das empresas, com o objetivo de atender aos compromissos típicos desse período, como pagamento de 13º salário e mão de obra temporária.
As empresas terão até 60 dias para pagamento da primeira parcela e um prazo de até 48 meses para quitação do empréstimo. As condições variam conforme as garantias oferecidas e as características de cada negócio, afirmou em nota o diretor de produtos das empresas Itaú Unibanco, Carlos Eduardo Maccariello.
“O aumento da demanda por crédito no quarto trimestre é uma característica das PMEs por serem empresas mais suscetíveis às sazonalidades de mercado”, afirmou. Segundo o executivo, estes clientes tendem a procurar linhas mais rápidas e de contratação simplificada porque são mais suscetíveis às sazonalidades de mercado e possuem estrutura enxuta com tomada de decisão rápida.
Leia também:
Itaú Unibanco cria bandeira de cartões Hiper
Receita Federal autua Itaú Unibanco em R$ 18,7 bilhões
(com agência Reuters)

Att.,
@DrDaviPinheiro
http://www.pinheiroadvogados.com.br
OAB/PR 2.375